Primeiro módulo do Hórus 18 e ferramentas de auxílio na execução chegam para facilitar trabalho na área judiciária

Suspensa decisão que impedia contratação de professores temporários em Americana (SP)
11/07/2019
Partido pede liminar para suspender suposta investigação contra jornalista Glenn Greenwald
11/07/2019
Exibir tudo

Primeiro módulo do Hórus 18 e ferramentas de auxílio na execução chegam para facilitar trabalho na área judiciária

Magistrados e diretores de secretaria de Varas do Trabalho ganharam uma importante ferramenta de análise e acompanhamento das informações, mais especificamente aquelas relacionadas à movimentação processual e ao cumprimento das metas do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Trata-se do sistema Hórus 18, que teve seu primeiro módulo lançado na tarde da última sexta-feira (5/7), no auditório do Pleno do TRT-18.

Desembargador-presidente Paulo Pimenta abriu o evento de lançamento do Hórus 18 fazendo um balanço do desempenho do TRT18 em relação às metas do CNJ para 2019

A solução intitulada Hórus 18, em homenagem ao primeiro sistema dessa categoria lançado no TRT-13 (Paraíba), é um sistema de BI (Business Intelligence) que agrega informações estratégicas, táticas e operacionais do Tribunal, de diversas fontes de dados, com intuito de simplificar a condução de análises de negócio por meio de exibições gráficas simples e completas. A ferramenta também permite o alinhamento à governança corporativa e subsidia a tomada de decisões pela alta administração. O nome Hórus faz referência ao deus egípcio com corpo de homem e cabeça de falcão.

O presidente do Tribunal, desembargador Paulo Pimenta, ressaltou que o Hórus 18 é um sistema de gestão e análise de dados que pode ajudar muito os magistrados e gestores de Varas nas atividades por eles desempenhadas. O presidente lembrou ainda que o Hórus já é utilizado também pela 8ª e pela 21ª Regiões da Justiça do Trabalho.

Em seguida, o secretário-geral de Governança e Estratégia do TRT-18, Robnaldo Alves, fez uma breve exposição sobre o Hórus 18. “É uma ferramenta de análise de dados que proporciona filtros dentro de um emaranhado de dados, trazendo informações de valor agregado para auxiliar os gestores na tomada de decisões”, explicou.

Secretário-geral de Governança e Estratégia, Robnaldo Alves

Robnaldo acrescentou que o Hórus 18 é uma solução que está sendo desenvolvida de maneira interativa e que os demais módulos serão entregues gradativamente. Esse primeiro módulo trata da gestão das metas do CNJ e do CSJT e processos pendentes. Ele foi desenvolvido por meio de parceria entre a Secretaria-Geral de Governança e Estratégia, por meio de sua Divisão de Estatística, Pesquisa e Inovação, e a Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicações.

Segundo Robnaldo, os próximos módulos do Hórus 18 serão “Gestão Estratégica”, “Igest nacional” e “e-Gestão RH”. Sobre esse último, Robnaldo comentou que ele possibilitará ao gestor de uma unidade ou ao presidente do Tribunal, por exemplo, visualizar futuramente num painel quantos servidores se aposentarão, quais são essas pessoas e em quais unidades elas estão lotadas. Assim, não será mais necessário fazer consultas na Secretaria de Gestão de Pessoas para obter essa informação gerencial.

Diretor da Divisão de Estatística, Wilane Massarani

Após a explicação de Robnaldo, o diretor da Divisão de Estatística, Pesquisa e Inovação, Wilane Carlos Massarani, prosseguiu com a demonstração das telas, filtros e funcionalidades oferecidas pelo Hórus 18. A ferramenta pode ser acessada pela página inicial da intranet do Tribunal, no menu Sistemas.

Outras ferramentas apresentadas

Além do Hórus 18, também foram apresentados aos magistrados e diretores de Varas do Trabalho outros dois sistemas disponíveis para a área-fim do Tribunal e que auxiliarão os gestores de Varas do Trabalho a dar mais agilidade na fase de execução. A apresentação foi feita por servidores da Secretaria-Geral Judiciária (SGJ) do TRT-18.

O primeiro sistema, de Registro Eletrônico de Imóveis (SREI), passa a ser utilizado por meio de um convênio firmado entre o TRT-18 e a Associação dos Notários e Registradores do Brasil (Anoreg) em maio deste ano.

Secretária-executiva da SGJ, Geisa Campelo

A secretária-executiva da SGJ, Geisa Campelo, iniciou a apresentação sobre o SREI explicando que o TRT-18 foi o primeiro tribunal trabalhista a firmar o convênio com a Anoreg a nível nacional. O SREI possibilita consultar a matrícula de bens imóveis diretamente na base de dados dos cartórios conveniados e também a expedição de mandados judiciais para registro da penhora diretamente nesse sistema.

O acesso ao SREI é feito pela internet no endereço https://www.registrodeimoveisgoias.com.br/home. Juízes e diretores de Varas poderão fazer o login, após efetuarem um cadastro. O formulário será disponibilizado na aba Judiciária da Intranet. A apresentação do SREI contou com o auxílio de Kenio de Souza, representante da Anoreg.

Logo em seguida, o chefe da Gerência de Assistência Jurídica e Apoio Administrativo da SGJ, Arthur Seabra, falou sobre o Protesto-Jud, ferramenta disponibilizada à área-fim do Tribunal por meio de convênio com Instituto de Estudos de Protesto de Títulos do Brasil (IEPTB). O Protesto-Jud vai substituir a solicitação de protesto da dívida em cartório, feita por ofício em papel, por uma solicitação em meio eletrônico.

Servidor Arthur Seabra, da SGJ

De acordo com Arthur Seabra, a utilização do Protesto-Jud também vai auxiliar na fase de execução, levando a protesto as certidões de sentenças judiciais. O gerente explicou que o acesso à ferramenta será pela aba Judiciária na intranet e o diretor de secretaria de Vara é quem vai gerenciar o acesso. Cada unidade terá seu login específico.

Wendel Franco
Setor de Imprensa

Fonte TRT 18

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *